O perdão

O perdão é um atributo dos Espíritos Superiores e é uma verdadeira arte conseguirmos, realmente, perdoar alguém. Geralmente, quando nós acreditamos estar perdoando, estamos é tomando a decisão de afastarmos, para o mais longe possível, o objeto de nossa raiva ou nossa mágoa, e, evidentemente, isso está longe do perdão. Muitos afirmam que já perdoaram o seu pai, a sua mãe, o seu ex-marido, a sua ex-esposa, etc., mas, na verdade, apenas decidiram que não querem mais incomodar-se com aqueles desafetos.

Geralmente, a vontade que temos é de nos afastarmos de quem não gostamos, de quem nos fez (ou faz) mal, de nos libertarmos, isso é da natureza humana, mas tal procedimento está muito longe do ato de perdoar. A libertação, em relação a outra pessoa, está na nossa mente e não no espaço físico, e é a raiva e a mágoa que nos prende, mesmo que não vejamos quem não gostamos. Para nos libertarmos verdadeiramente de alguém, precisamos curar a raiva e a mágoa, em nossos pensamentos e sentimentos, mas para isso é necessário perdoar.

Algumas pessoas, nas consultas, perguntam por que devem perdoar, se o outro foi tão mau, injusto, irresponsável, agiu de uma maneira desleal, lhe prejudicou tanto, do ponto de vista emocional ou material, enfim, por que perdoar, se aquela pessoa não merece? Devemos mostrar-lhes que tudo depende de quem está enxergando e analisando aquela situação, se o seu Eu Encarnado (persona) ou o seu Eu Superior (espiritual).

É muitíssimo diferente o raciocínio de um e de outro, pois enquanto o Eu Encarnado apega-se a fatos da vida atual, em conflitos da infância, em acontecimentos recentes, geralmente baseado em dicotomias como “gosto dele (dela) ou não gosto”, “ele (ela) não gosta de mim”, “ele (ela) me fez (faz) mal “, etc., o Eu Superior conhece a história antiga desses conflitos, que geralmente vêm arrastando-se vida após vida, há muito e muito tempo, e sabe que o mais importante não é “gosto ou não gosto”, “o que me fez”, “o que me faz”, e sim a busca da evolução, do crescimento espiritual, de cada uma das partes que estão em litígio, que passa pela melhoria dos nossos pensamentos e sentimentos negativos em relação a nossos desafetos. A purificação do Espírito, a melhoria, ou cura, das negatividades em nossos pensamentos e sentimentos, é muito mais importante do que o que nos fizeram ou não fizeram, do que nos fazem ou não fazem. Os fatos são os fatos, mas o importante é o que aflora de negativo de dentro de nós, para que saibamos o que viemos melhorar nessa vida atual, ou seja, a nossa proposta de Reforma Íntima.

Anúncios

9 respostas em “O perdão

  1. Com certeza este é um dos maiores desafios na nossa caminhada da reforma intima,exercitar verdadeiramente o perdão e não simplesmente nos afastarmos daqueles que disparam nossos “gatilhos”!!!

  2. Bom, em primeiro lugar, eu entendo que o perdão só tem espaço nas situações quando há abertura para o diálogo.Quando compreendemos, nos conscientizamos que cada situaçào em nossas vidas demonstra em nós a forma de reação e maturidade em nossos relacionamentos.Quando sempre nos vemos como vítimas e os outros algozes, ainda nào temos a compreensão de que estamos participantes e portanto responsáveis diante do ocorrido, logo dialogando o perdão naturalmente acontece, pois ai ele nada mais é do que a compreensão e superação da dificuldade, com oportunidade de aprendizagem para as duas partes.

  3. Realmente é muito difícil pois esses sentimentos afloram não porque queremos mas é porque vem de dentro até mesmo sem percebermos,e quando nos damos contas já estamos tomados pela raiva se pode assim dizer.Então temos que educar os nossos pensamentos trabalhando o perdão até o momento que nos sentimos livres..é isso?

  4. Concordo e entendi a diferenciação entre persona e espírito. Hoje mais amadurecido pelo tempo e com a mente mais aberta a estes assuntos vejo com clareza a diferença do perdão de um e de outro. É minha primeira participação, obrigado pelo convite…voltarei sempre que puder…obrigado.

  5. Nunca participei de nada parecido mas quero deixar um comentário sobre o perdão, concordo com tudo o que esta escrito e tenho uma técnica que uso que eu não sei da onde eu tirei, se foi de um livro, se eu ouvi, se eu vi, não sei, mas quando estou muito decepcionada, magoada e triste com alguém antes de dormir durante uma semana eu me imagino na frente dela olhando para os olhos dela e dizendo vou fazer de tudo para te perdoar e rezo o pai nosso, no segundo dia eu imagino eu segurando a mão dela e dizendo eu quero te perdoar e rezo o pai nosso de mãos dadas com ela, no terceiro dia eu imagino eu dizendo a esta pessoa eu te perdooou e imagino eu dando um abraço nela e rezo o pai nosso, depois disto se as mágoas não desaparecem elas reduzem muitoe durante os próximos três dias eu apenas rezo o pai nosso e agradeço a Deus por ser eu que estou perdoando, não eu que preciso estar pedindo perdão… porque a pior dor é a que se carrega por culpa da nossa própria ignorãncia.

  6. Todos nós temos sempre razão… Temos razão quando nos magoamos com o que alguém nos fez… Temos razão quando sentimos raiva pelo que alguém nos fez… Temos razão, mas não temos Razão, por isso ainda somos crianças. Sabemos o que fizemos para essa pessoa em outra encarnação? Lembramos o que fizemos de parecido (ou pior) para alguém nessa vida mesmo? Não, nós temos razão, sempre temos razão. Um dia vou escrever um livro chamado “Onde estão os vilões?”, porque no meu consultório só chegam as vítimas.. Onde estão os vilões? Beijo em todos, Mauro

    • Oi doutor mauro, acho que sou um destes vilões porque na regressão que fiz na primeira vida que me lembro eu fui um vilão, um homem muito mal que prejudicou, abusou e até mesmo matou pessoas, nas vidas posteriores tb fui vítima, penso que com a evoluçao vamos revendo os erros do passado e pagando o preço dos mesmos.Como estamos predispostos a buscar ajuda entramos em sintonia com nossas fragilidades e elas aparecem.Outra sensação que tenho é que os vilões estes não buscam ajuda, nós precisamos ir até eles.

  7. Ãprender a perdoar! Dura missão que escolhi. Anos e anos procuro me libertar de mágoas, ressentimentos, porém, qto mais eu busco em terapias, mentalização, espiritualidade, viver este perdão e amor incondicional, parece que mais aumenta a hostilidade e a lista de inimizades. Tenho a impressão que o amor incondicional e perdão para mim é utopia.
    O sr acha que com Regressão eu consigo pelo menos entender o que é perdoar? O que fazer?
    Gostaria de ouvir um parecer. Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s